PRODUTOS JORNALÍSTICOS PARA TABLETS COMO FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS: estudo de caso do Golpe de 1964

PRODUTOS JORNALÍSTICOS PARA TABLETS COMO FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS: estudo de caso do Golpe de 1964

Escrito em 31/05/2018
Rita Paulino


Este trabalho detalha o processo produtivo de um produto jornalístico para tablets-iPad no formato Folio voltado para a Educação. A concepção envolve apuração, checagem de informações, redação, editoração e demais etapas do trabalho do Jornalista, mas pensado para ser aplicado de forma didática em sala de aula, para um público-alvo de ensino fundamental, de 12 a 14 anos. A partir do software Adobe Indesign e as ferramentas gratuitas Adobe para publicação e distribuição de documentos na nuvem, cria-se um modo simples, rápido, barato e de fácil atualização para professores trabalharem com os estudantes em salas de aula de qualquer lugar com acesso à internet. O formato Folio permite adicionar um visual atrativo e possibilidades de interação como jogos, botões de navegação, vídeos, galerias de imagens e áudios para despertar a curiosidade diante de assuntos que devem ser trabalhados como parte do currículo escolar, mas não precisam estar limitados ao espaço do livro didático.

http://alcarsul2014.sites.ufsc.br/wp-content/uploads/2014/10/gtmidiadigital_marina_empinotti.pdf



“O iPad está revolucionando os modos de produção e os processos de distribuição de revistas digitais e jornais, mas o aparato tecnológico por si só não garante o êxito e a popularização de um novo meio de interação e comunicação.” (PAULINO, 2012)

Produzir e organizar publicações para tablets ainda é um processo experimental em todas as áreas, do Jornalismo à Educaação. Com o Folio sobre o Golpe de 1964 concluído, parte-se para a parte experimental: entregá-los a alunos do ensino fundamental para que seja usado em sala de aula. A partir dessa experiência, serão avaliados quais recursos interativos funcionaram ou não. A produção do material aqui exposto por dois profissionais em um mês mostra que a produção de conteúdo didático interativo é possível de forma rápida e enxuta, já que não se trabalha aqui com deadline de hardnews, mas com um produto planejado antecipadamente. Quando comparado a um livro didático, o material em tablet leva vantagem por não depender de espaço nas folhas de papel e ter seu custo reduzido. A distribuição via internet também é importante. Quando voltado ao ensino fundamental, como este caso, a preocupação com a familiaridade dos alunos com o material não é tão relevante quanto a capacitação do professor para aproveitá-lo e lidar com possíveis problemas técnicos; a geração atual recebe de forma muito mais intuitiva os tablets. Cabe formalizar formas eficientes de distribuir o material produzido pelas escolas e capacitor professores para recebê-los e tê- los como aliados em sala de aula.