Rendeiras: a história de uma geração

Rendeiras: a história de uma geração

Escrito em 13/05/2019
AlunosJOR Jornalismo UFSC

por Amanda Regina Rosa, Carla Mereles e Júlia Mallmann

De origem europeia, a renda de bilro chegou em Florianópolis com os colonizadores açorianos, no século XVIII, e até hoje é cultivada como patrimônio cultural da cidade. Este artesanato é resultado do trabalho de mãos habilidosas, quase sempre de mulheres que compartilham histórias de vida semelhantes. É o caso de Dona Rosana, Dona Elita e Dona Glorinha, que contaram um pouco de suas memórias sobre a renda em Santo Antônio de Lisboa, no Centro e no Sambaqui. Embora existam iniciativas para manter esta tradição viva, não se sabe ao certo qual será o futuro da renda de bilro.

Acompanhe a reportagem completa aqui



Renda, bordado, crochê ou tricô?

Renda é um tecido de malha aberta, vazado - ou seja, ele é elaborado sem a utilização de um tecido como base. Os desenhos são formados pelo cruzamento de fios de linho, algodão ou seda. No caso da renda de bilro, a especificidade está no manuseio desses fios, que é feito através dos bilros, peças de madeira trabalhadas em pares. Existem duas hipóteses para a origem do nome: alguns dizem que é devido à árvore bilreiro, que teria originado a madeira dos primeiros bilros; outros, alegam que a palavra vem do latim pirulus, diminutivo de pirus, cujo significado é pêra - fruta que tem formato semelhante ao bilro. Existem diversos tipos de rendas de bilro, como a maria morena, a cocada, a tradicional e a tramoia - que é típica de Santa Catarina. 

Já no bordado, decora-se um tecido preexistente, costurando nele uma peça ou criando um desenho com fios e agulhas - manualmente ou com máquinas. É bastante utilizado para colocação de estampas e logotipos em roupas, por exemplo. Crochê e tricô são técnicas parecidas, que embora não sejam consideradas renda, produzem uma malha semelhante à rendada, na qual não é necessário um tecido de base. Ambas utilizam agulhas especiais e linhas - a diferença é que, enquanto o crochê usa apenas uma agulha com gancho, o tricô requer pelo menos duas agulhas, que têm um formato próprio. 

Confira abaixo os instrumentos utilizados na renda de bilro: